sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Estou sem sono...

        Hoje fiz uma canção de amor com o meu parceiro Alan Torquato. Na verdade eu tinha feito essa melodia para participar do concurso MUSIQUE, onde Dinho Ouro Preto era o autor dos versos. Como todos puderam perceber eu não ganhei essa competição. Confesso que gostei muito mais da letra que foi feita hoje, pois existiu mais honestidade... na minha humilde opinião, é claro!
               Os versos falam sobre "O quanto Vale" um ato simples, o que precisamos fazer para desfrutar de atitudes positivas dos nossos amores correspondidos ou não tão correspondidos assim. Fala de sexo também!
         Chegamos a gravar de forma bem amadora aqui no meu PC, mas somente para estudar a composição e poder melhorar a forma de cantar e tocar! 
              Fico por aqui, estou sem idéias para escrever... A letra de hoje me consumiu bastante. 

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Minha feiura aos 17!

Durante esse fim de semana vi uma foto de quando eu tinha 17 anos! Fiquei impressionado com a minha habilidade única de ser feio o bastante e ficar notavelmente mais ridículo ainda perante aos olhares  femininos da época. Além de ser desprovido de características visuais positivas, também era um sem noção, por sempre me perguntar: Por que ela não quis ficar comigo? Não sou tão feio assim!
Hoje posso entender perfeitamente as meninas que um dia disseram "não"! Antes as julgava de "metidas", agora as encaro como "sensatas" e "racionais"!
Por outro lado quero agradecer as mocinhas que tiveram a coragem me beijar durante aquela fase! Antes de qualquer "LULA" elas fizeram uma grande inclusão social, deram uma lição de solidariedade e ao meu ver tiveram um coração mais generoso que "Bono Vox" e "Renato Aragão" juntos. Elas merecem uma cadeira acolchoada do lado de DEUS no paraíso assim que os anjos as levarem depois de uma morte linda e sem dor. Posso afirmar que o ditado "Quem ama o feio bonito lhe parece" pra elas ganha um efeito TURBO-MEGA-BLASTER-FODA-ATOMICO.
Hoje continuo não sendo bonito, mas já posso fazer parte de uma classe de feiura padrão dentro do aceitável. Eu acho! Se bem que antes eu achava isso também! Droga, estou confuso de novo! Preciso pensar um pouco... E essas espinhas aqui de novo hein? Vou ao banheiro, já volto! (barulho de tiro, chame o resgate please).


  

domingo, 14 de outubro de 2012

Inauguração sob nova antiga direção!

Estou passando aqui pra dar uma varrida, abrir as janelas pra deixar um ar entrar, tirar essas teias de aranha, deixar alguns "mata-baratas" e dar uns retoques nas paredes. Esse blog aqui vai voltar a funcionar. Quero recomeçar e também agradecer essa volta a minha memória que me fez lembrar a senha, o usuário e me poupou de cadastrar um novo blog (isso é meio chato e trabalhoso). Preciso decidir os textos que vou colocar aqui, nem vejo dificuldades pra isso vai!

domingo, 4 de dezembro de 2011

Bola pra frente!

Olha como sou um cara de coragem. Estava escrevendo um texto enorme para embalar a minha insônia. Esses dizeres estavam girando em torno de lembranças, questionamentos e o meu talento colocado a prova.

Li tudo e resolvi apagar todas as palavras com um “delete” só. Esse assunto já cansou a minha beleza. Não adianta buscar respostas que não adiantarão para entender mais nada. O que importa é o daqui pra frente.

Amanhã a noite irei com o meu amigo Caio Bars para um encontro de compositores no meu bairro predileto “Lapa”. É isso que tenho que buscar: novos ares. O mundo é isso aí gente! Tantos encontros e desencontros, neguinho que larga tudo e mete com a cara na parede, gente que larga sua cidade em busca de um sonho.

Meu pai outro dia veio me dizer que sei pouco das coisas, que pra ele eu deveria escrever roteiro, aprender Photoshop, saber de programas de gravação, mexer com design, ser um entendedor básico de informática. Pela primeira vez não discordei das coisas na frente dele. Ouvi e apenas abaixei a cabeça. Não discuti. Como que um Daltônico pode mexer com cores? Saber combinar contrastes?

Não acredito no ser que sabe de tudo um pouco, pois a maioria deles não sabe fazer nada bem feito. Acredito em pessoas que são especialistas em algo.

Acredito que não sou nenhum instrumentista e cantor foda, mas me considero muito bom na arte de encaixar as palavras no lugar certo da melodia. Pronto! É isso que sei fazer... Só.

Cada um na sua área. Sou dessa forma e acredito que devo trabalhar mais em relação a isso. O reconhecimento já existe, porém em focos muito espalhados. Preciso fazer que muitas pessoas conheçam minhas composições.

domingo, 27 de novembro de 2011

Cerveja!

Sou um cervejeiro nato. Adoro tomar uma gelada com os meus camaradas e bater aquele papo maneiro. Quando eu era moleque achava o gosto amargo e não entendia por que tantas pessoas se reuniam para tomar aquele líquido sem graça.

Quando tinha dezenove não gostava de nenhuma bebida. Comecei sendo o famoso “Maria-vai-com-as-outras”. Eu só bebia por que meus amigos bebiam.

Certa vez, fui em uma das piores festas da minha vida. O aniversariante chegou com uma garrafa de cerveja e deu na minha mão, e como nessa época não apreciava tanto assim, aquele frasco durou cinco dias úteis na minha mão totalmente quente. E quando terminei de beber com muito sacrifício, esse anfitrião me deu outra, e eu com aquele sentimento de não querer me desfazer, acabei aceitando.

Se fosse hoje... Aquela festa não seria tão ruim assim. Imagino que o cara me daria uma breja, duas, três e depois teria que assaltar o isopor. Sem esquecer que esse período entre cervejas seria muito curto. Sou PHD em beber cerveja com rapidez!

Hoje em dia acredito que a cerveja me traz alguns prejuízos. Todas as vezes que eu tomo várias acabo esquecendo de grande parte do evento. Isso é preocupante. Estou empenhando em instalar uma câmera em um boné para que eu assista a festa no dia seguinte. Sou daqueles de ligar para todos que estavam comigo no dia anterior e perguntar: fiz alguma merda ou falei algo que você não tenha gostado?

Isso me deixa um pouco triste. Fico sem credibilidade na praça. Prometo dar uma diminuída nas doses. Juro mesmo!

domingo, 20 de novembro de 2011

Sandro, Vanessa e Amigos!

Na Sexta-feira houve um reencontro de amigos (Alan, Sandro, Lora, Luiz, Fernando, Rodrigo e Adriano), faltou o Paulo Goulart. Foi uma noite muito bacana, por que todos nós estávamos felizes. Não falamos sério um minuto ao menos, e isso foi muito bom! De coisas sérias já estou extremamente cansado.

O Sandro é um cara que conheço há cinco anos. Uma pessoa que fomos construindo uma amizade aos poucos. Nada forçado. Uma parada que ele era apenas um baixista virtuoso pra mim, e eu era somente o vocalista do novo projeto dele.

Com a quantidade de shows e ensaios, logicamente a convivência aumentou, então passamos a nos divertir nos roles e picos que tocávamos. Nossas namoradas se conheceram e começaram a ter uma puta amizade, e agora mesmo depois que a banda acabou ainda somos muito próximos.

Ele se casará com a Vanessinha no próximo sábado (26/11) e nos convidaram para sermos padrinhos. Isso prova que nos consideram ao extremo, da mesma forma que nós os consideramos.

Sabem aquele brinquedo de tabuleiro chamado “Jogo da Vida”? Os dois estão avançando o carrinho e alcançando uma boa posição, e todos nós estamos os acompanhando com um orgulho fudido.

Sejam felizes lindos!


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Será?

Minha cabeça está cheia de idéias, e estou encontrando dificuldades para executá-las. Estava fazendo um som hoje de tarde e estou escrevendo mais uma música. Mas onde quero chegar com essas músicas? Tento acesso aos “picas grossas” do mercado e os caras nunca me respondem. Provavelmente acham que sou mais um querendo lugar ao sol, o que é uma realidade. No meu caso, tenho muita coisa pra mostrar. Estou na correria desde os dezenove anos, e já tomei muitos baques, portadas na cara, mentiras, vaidades, e até hoje não desisti. Tenho muito orgulho de muitas músicas de minha autoria, de verdade. Elas poderiam ser tocadas em qualquer rádio, em festas, em momentos de reflexão, em dias de revolta, na praia... Já explorei muitos temas, e não deixo de procurar novos! Amo escrever e essa é minha vida! Mas será que depende só de mim sair dessa vidinha medíocre?